CEI Santa Rita já atende 200 crianças na Cidade Tiradentes

Novo Centro de Educação Infantil é administrado pela Pró-Saúde em São Paulo e operado em convênio com a Prefeitura da Capital

 

CEI Santa RIta

 

 

Mães e pais da Cidade Tiradentes, zona leste de São Paulo, contam, desde 3 de julho, com uma creche administrada pela Pró-Saúde. O Centro de Educação Infantil (CEI) Santa Rita, operado em convênio com a Prefeitura de São Paulo, já conta com 200 alunos de zero a quatro anos de idade. A escola tem capacidade para atender até 211 crianças, mas está nos planos da administração aumentar o número de matrículas, a partir da maior aproximação com os moradores do bairro. “O papel da Pró-Saúde é garantir o bom funcionamento do CEI Santa Rita, zelando por um ambiente seguro e acolhedor, tanto para as crianças como para toda a comunidade da Cidade Tiradentes”, diz Joyce Bispo de Moura, diretora do CEI.

Construído pelo município, o CEI é a quarta parceria entre a prefeitura paulistana e a Pró-Saúde em educação infantil. A entidade já administra os CEIs dos bairros Jardim São Jorge, Jardim Eliane e Lageado, todos na zona leste. Essa união teve início em 1998 e atualmente são atendidas 759 crianças. “A Pró-Saúde se responsabiliza pela administração do CEI conduzindo a verba pública de maneira organizada para que todas as necessidades sejam supridas, como alimentação, materiais pedagógicos, equipamento de segurança e funcionários qualificados”, explica a diretora.

O novo CEI conta com 38 funcionários, nove salas de aula, brinquedoteca, biblioteca, parque, solarium, refeitório e lactário. A equipe que trabalha no local é multidisciplinar e acompanha de perto a aprendizagem de cada uma das crianças, assim como a alimentação e seu desenvolvimento físico, emocional, psicológico e social.

O próximo passo para garantir que o trabalho do CEI seja ainda mais eficiente para as crianças e suas famílias é o fortalecimento do vínculo com a comunidade. A inauguração do Centro e uma “Festa Julina”, logo na primeira semana de atividades, serviram como oportunidade inicial de contato. Agora, o principal canal entre a escola e os pais deve ser, além de eventos, as reuniões com a Comissão de Pais e a análise dos resultados dos formulários e pesquisas enviados para os responsáveis pelos alunos. “Estamos buscando a interação com as famílias, para que possamos conhecer a comunidade e permitir que ela mesma nos conheça”.