Conhecimento científico a favor do paciente

Centro de Estudos e Pesquisas, que começa a funcionar no primeiro semestre de 2014, vai contemplar sete áreas da neurociência.

Uma das principais novidades do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer para 2014 é a inauguração de uma área reservada a pesquisa e inovação científi ca. Criado com o objetivo de gerar produção científica nacional em neurociências, contará com sete linhas de pesquisa, todas relacionadas à neurocirurgia, e pretende realizar parcerias com instituições nacionais e internacionais. A primeira delas foi firmada com a PUC-RJ para fazer parte da formação dos neurocirurgiões. “Um instituto como este, que quer realizar seis cirurgias por dia -um movimento enorme-, não pode se restringir apenas à assistência. Temos a obrigação de formar, transmitir conhecimento e, se possível, desenvolver novas técnicas” afirma o Dr. Paulo Niemeyer Filho, diretor médico do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer. O objetivo é realizar estudos que possibilitem ampliar o conhecimento científico em neurociências e oferecer condições para que as descobertas possam ser aplicadas no diagnóstico e no tratamento dos pacientes. Para a Dra. Mônica Gadelha, coordenadora do setor de neuroendocrinologia, como o IECPN conta com uma equipe altamente especializada e com experiência em pesquisas, há um enorme potencial para o desenvolvimento de novas tecnologias que poderão melhorar o tratamento dos pacientes com patologias cerebrais.

A expectativa do grupo de pesquisadores que se reuniu para planejar o Centro de Estudos e Pesquisas é de contribuir não apenas no avanço de seus respectivos campos de atuação, mas também ampliar os conhecimentos sobre o cérebro humano e encontrar novas formas de intervir nas doenças que podem afetá-lo. “As pesquisas clínicas são de fundamental importância para o desenvolvimento imediato do nosso trabalho à beira do leito”, afirma o Dr. Fabio Guimarães de Miranda, coordenador do setor de Medicina Intensiva, que já firmou parcerias com diversas instituições de pesquisa, tais como Fiocruz, ID’Or e Instituto Pasteur. Outras parcerias com universidades nacionais e internacionais também estão em análise e devem ser confirmadas em breve. A pesquisa contribui para o desenvolvimento do pensamento crítico, ajuda a desenvolver as competências necessárias para importantes tomadas de decisão, e isso se reflete positivamente no atendimento aos pacientes.

O Centro de Pesquisa do IECPN vai dar importante contribuição neste grande projeto, no sentido de torná-lo uma referência também na produção de conhecimento científico.

 

Conheça a missão do Centro de Pesquisa
Realizar pesquisas clínicas e translacionais em neurociências, de modo a contribuir com a produção do conhecimento científico nas diferentes áreas, assim como promover o contínuo aperfeiçoamento da qualidade assistencial para a sociedade, por meio da formação e da capacitação dos profissionais da saúde.

 

As sete linhas de pesquisa

Neurocirurgia: tem como objetivo fornecer dados epidemiológicos nacionais consistentes acerca das patologias cerebrovasculares, neuro-oncológicas e dos distúrbios do movimento. Realizar estudos clínicos prospectivos randomizados especialmente com neoplasias de hipófise, meningiomas, gliomas, aneurismas cerebrais, más-formações cavernosas, schwannomas, epilepsia, doença de Parkinson e distonias.

Neurorradiologia: desenvolver e demonstrar aplicações clínicas das técnicas convencionais e avançadas de neuroimagem em pacientes com lesões intracranianas. Medicina Intensiva: a linha de pesquisa em medicina intensiva adulta e pediátrica tem como objetivo ser um centro de excelência em pesquisa e ensino em neurointensivismo, contribuindo com o enriquecimento do conhecimento científico e com o desenvolvimento da especialidade e da assistência aos pacientes neurológicos e neurocirúrgicos agudos.

Neuroendocrinologia: melhorar o manejo clínico dos pacientes com adenomas hipofisários e o conhecimento sobre os mecanismos de desenvolvimento desses tumores, através do estudo dos mecanismos de tumorigênese hipofisária, resposta ao tratamento medicamentoso e do correto manejo peroperatório desses pacientes.

Neuropatologia: tem como objetivo fornecer indicativos da frequência das doenças, criando condições de análises epidemiológicas e desenvolvimento de métodos que permitam avançar no conhecimento das mesmas.

Neurofisiologia: tem como missão promover e desenvolver pesquisa clínica e translacional de ponta e inovadora em todas as áreas do conhecimento relacionadas com o diagnóstico e o tratamento das epilepsias, gerando saúde e qualidade de vida às pessoas com epilepsia e seus familiares.

Saúde Neurofuncional: desenvolve estudos relacionados à saúde das pessoas em condição de neurocirurgia, incluindo a abordagem da fisioterapia, nutrição, fonoaudiologia, psicologia e enfermagem, no sentido de facilitar e promover o bem-estar desses indivíduos.