Pró-Saúde: gestão de excelência

Com experiência de mais de 45 anos na gestão de hospitais, entidade prioriza humanização, qualidade no atendimento e responsabilidade ambiental.

Mais de 600 mil atendimentos por ano, 5 milhões de exames e quase 3 milhões de consultas. Os números expressivos revelam a magnitude de uma das maiores entidades de gestão de serviços de saúde e administração hospitalar do país, a Pró- Saúde – Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar.

Há quase 50 anos no mercado, a Pró-Saúde tem sob sua responsabilidade mais de 3.500 leitos e o trabalho de cerca de 20 mil profissionais, entre eles mais de 3.500 médicos. Uma gestão que se baseia em um atendimento humanizado e de qualidade, capaz de assegurar aos usuários do Sistema Único de Saúde qualidade, conforto e segurança no diagnóstico. É o que têm visto os usuários do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer (IECPN), no Rio de Janeiro, assim como os usuários de todos os hospitais administrados pela Pró-Saúde em 30 municípios de 12 Estados brasileiros. Além do IECPN, a instituição administra outros dois centros de excelência: o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua, Pará, que é especializado nos cuidados aos queimados, e o Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, também no Pará, especializado em oncologia.

O reconhecimento à excelência dos serviços da Pró-Saúde vem em forma de prêmios e certificações nacionais e internacionais. Um deles é a conquista, em 2010, da Acreditação Nível 2 de excelência da Organização Nacional de Acreditação (ONA) para os hospitais Regional Público da Transamazônica (PA), Municipal de Araucária (PR) e Municipal de Barueri (SP). Em 2013, o Regional do Baixo Amazonas Dr. Waldemar Penna (PA) também recebeu o certificado. A ONA é uma organização que tem por objetivo promover a implantação de um processo permanente de avaliação e de certificação da qualidade dos serviços de saúde.

Foram classificados Nível 1 de Excelência pela ONA o hospital Dr. Luiz Camargo da Fonseca e Silva (SP). Além disso, o Hospital e Maternidade São José de Ribamar (MA), o Hospital Municipal Nossa Senhora da Luz dos Pinhais (PR) e o Hospital Dr. Luiz Camargo da Fonseca e Silva (SP) foram reconhecidos pela Unicef com o título de Hospital Amigo da Criança. A Pró-Saúde também atua com destaque no gerenciamento de Unidades Básicas de Saúde (UBS), do Serviço de Atendimento Movél de Urgência (SAMU) e em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). O SAMU de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, administrado pela Pró-Saúde desde 2012, por exemplo, transformou-se em uma referência nacional e recebeu o Certificado de Qualidade em Excelência de Serviço, do Ministério da Saúde.

Este compromisso com a qualidade da saúde gera resultados surpreendentes: os pacientes atendidos diariamente nos hospitais administrados pela Pró-Saúde passaram de 100 mil, em 2007, para mais de 600 mil em 2012. Para Danilo Oliveira, diretor de Operações da Pró-Saúde, esses números são consequência de uma atuação que abre espaço à criatividade e ao empenho dos colaboradores, para disseminar novos valores nas comunidades nas quais a instituição está inserida. Um exemplo de gestão comprometida é o sucesso obtido em ações de combate à malária. Em 2007, quando assumiu a gestão do Hospital de Porto Trombetas, no Pará, havia um quadro grave de infecção por esta doença. Por meio de um modelo de atuação, o índice de contaminações foi reduzido a dois casos por ano, o que rendeu à instituição o Prêmio BHP Billiton em Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Comunidade.

A Pró-Saúde tem ainda uma forte preocupação com as questões ambientais, como afirma Oliveira: “A pauta da sustentabilidade já está incorporada no dia a dia da instituição, e vai além da adoção de práticas de reciclagem, redução no consumo de energia e água e eliminação do uso de mercúrio nos hospitais. Os resultados alcançados pelas unidades administradas são significativos e impactam diretamente na comunidade”. Mais que o cumprimento de uma obrigação, a Pró-Saúde demonstra sua vocação para o engajamento em causas ambientais e pode contribuir para a mudança de paradigma no setor, capaz de inspirar instituições na permanente luta pela preservação da vida.

28